13 Reasons Why

Uma última chance a vida - Do Sofrimento ao Suicídio

 

13 Reasons Why é uma série da Netflix, onde a personagem principal Hanna Baker, grava 13 fitas explicando  os treze motivos que a levaram ao suicídio.

A série já inicia com a personagem morta e as fitas devem ser entregues as 13 pessoas que ela julga estarem envolvidas nesses porquês. 

Assisti todo o seriado, e em minha opinião a série deixa explicito os motivos de Hanna, relacionados à Bullying, violência psicológica e sexual, sentimentos de desvalia e uma sensação de impotência onde a personagem entende que ninguém poderá compreender o que se passa com ela.

Em uma análise do último e mais forte episódio, em meu ponto de vista, Hanna ao final da gravação de 12 fitas, relata que algo engraçado aconteceu que sentiu algo mudar, manifesta certo alivio, ao usar a frase “Eu tinha despejado tudo, e por um minuto, só por um minuto, senti que poderia vencer isso” (sic) e decide dar uma nova chance a vida, e vai em busca de ajuda.

A partir desse relato da personagem, temos a visão do quanto o falar é importante, do quanto o “despejo” ajuda a sentir-se melhor. Em um contexto psicológico é possível trabalhar com o método proposto pela psicanálise, que tem sua origem na escuta do sujeito que sofre. (Estudos de Psicanalise, n36, dezembro 2011).

Contudo, talvez essa nova chance não tenha podido ser aproveitada da melhor forma. Hanna pediu ajuda a aquele que julgou ser o melhor caminho, naquele momento, foi em busca do conselheiro da escola, mas talvez por dificuldades de expor de forma clara seus sentimentos, talvez por vergonha ou mesmo medo do que pudesse ocorrer, não conseguiu a ajuda que foi buscar.

No seriado não fica claro, qual a formação deste conselheiro, mas mostra que ele exerce um papel de ouvinte, mas quem sabe por esta escuta não estar preparada, ele talvez não tenha conseguido identificar os sinais que Hanna expos sobre o quanto desejava interromper sua vida. Em psicoterapia a escuta é um instrumento, treinado e disciplinado. Exige atenção. Escutar é uma entrega, é sair de si mesmo e adentrar ao desconhecido (Casa da Psicoterapia, 2008)

Hanna ao ser questionada pelo conselheiro como se sente, responde “perdida, vazia, eu não sinto nada, eu não me importo..”(sic), apresentando um sofrimento psíquico muito intenso, mencionando isolamento social, humor deprimido e sentimentos de desvalia muito presentes.

A personagem possivelmente poderia estar sofrendo de uma doença grave chamada Depressão. Esse Transtorno Psiquiátrico pode levar a pensamentos de desvalia muito intensos, como os da personagem, caracterizado também por mencionar que se sente um problema para os pais, para todos. Essa doença é incapacitante e causadora de um sofrimento tão intenso que pode levar ao suicídio. Depressão tem tratamento e não é frescura, falta de fé, ou qualquer outra definição do senso comum. Depressão é doença e pode matar. O diagnóstico deve ser realizado por profissionais especializados, como psicólogos ou médicos psiquiatras e o tratamento geralmente consiste em psicoterapia e medicação.

 

Se você está sofrendo, se identifica com a dor ou história da personagem Hanna Baker, busque ajuda!

 

Nós podemos ajudar.

 

Psicóloga Matilde Fuzinatto.

Instale Agora!

Psicoclin 2017 © Todos Direitos Reservados - Desenvolvido por Tecnohouse TI